(Page 72)

  • Continente comercializa Seguros para Automóvel

    O Continente alargou recentemente a sua actividade à comercialização de Seguros para Automóvel, um serviço classificado como “inovador” na distribuição, uma aposta resultante de um investimento de três milhões de euros, anunciou hoje a empresa. Em comunicado, foi explicado que a Seguros Continente apresenta um serviço inovador para os seus clientes, a comercialização de Seguros para Automóvel, prosseguindo a estratégia de alargamento da oferta do seu conjunto de produtos e serviços, para responder às diferentes necessidades dos consumidores. “Com um carácter diferenciador, a Seguros Continente apresenta condições muito competitivas relativamente a outros produtos do sector, nomeadamente no preço: ao contratar este seguro automóvel o cliente poderá poupar até 50 por cento relativamente ao seu actual seguro”, segundo a informação. A simplicidade é outra característica do processo de compra, podendo ser feito através de espaços próprios, como quiosques multimédia, com apoio de promotora existentes nas lojas Continente e Modelo, pela Internet, […]

     
  • Factores que influenciam o preço do seguro

    Cada empresa de seguros é inteiramente livre de fixar os seus próprios preços – incluindo o do seguro obrigatório de responsabilidade civil automóvel – de acordo com a sua estrutura de custos e a experiência de sinistralidade dos seus clientes. Além da idade do condutor e da antiguidade da carta de condução, a idade do veículo e outros factores inerentes ao automobilista também podem influir no preço do seguro, de acordo com a tabela específica de cada empresa de seguros. Normalmente, o preço aumenta por cada sinistro da responsabilidade do segurado e diminui por cada um ou mais anos sem sinistros. Estas alterações apenas podem ocorrer no vencimento anual do contrato e mediante pré-aviso da empresa de seguros, salvo se na apólice outro sistema tiver sido previamente estabelecido.

     
  • Qual a importância do seguro automóvel?

    O proprietário ou o condutor de um veículo são responsáveis pelos prejuízos que este possa causar e, em caso de acidente, podem incorrer em graves responsabilidades, face às indemnizações que lhes poderão ser exigidas. Por outro lado, impõe-se acautelar os legítimos interesses dos lesados em acidentes de viação. Neste sentido, institucionalizou-se a obrigatoriedade de um contrato de seguro de responsabilidade civil para os veículos terrestres a motor e seus reboques. A falta de seguro é punida por lei e pode implicar apreensão do veículo, pagamento de uma coima e, em caso de acidente, a responsabilização do condutor ou do proprietário do veículo, pelo pagamento de indemnizações aos lesados. O capital mínimo obrigatório a subscrever para os veículos não afectos a transportes colectivos é, actualmente, de € 600.000. No entanto, porque os danos causados podem atingir valores superiores, muitos tomadores de seguros optam por contratar uma garantia superior. O seguro obrigatório […]

     
 

Recomendado

 
 

Comentários recentes