• O meu seguro é o correcto?

    Para se certificar que está com o seguro correcto, proceda da seguinte forma: Leia atentamente a sua apólice de seguro e verifique se os riscos cobertos e os capitais contratados são efectivamente aqueles que cobrem as suas necessidades de protecção. Mantenha os capitais sempre actualizados, especialmente o de Res-ponsabilidade Civil. O capital mínimo (1 200 000 €) por acidente pode ser insufici-ente no caso de poder haver feridos graves. Se o valor do seguro não for sufici-ente o seu património poderá ser utilizado para cobrir o restante. Contrate sempre o seguro de Ocupantes (que inclua também o condutor). Quase um em cada três acidentes com vítimas resulta de despiste do veículo, sem inter-venção de outros veículos. O seguro obrigatório não cobre as lesões provocadas no condutor do veículo, no caso de este ficar ferido ou falecer em consequência de Acidente.

     
  • Factores que influenciam o preço do seguro

    Cada empresa de seguros é inteiramente livre de fixar os seus próprios preços – incluindo o do seguro obrigatório de responsabilidade civil automóvel – de acordo com a sua estrutura de custos e a experiência de sinistralidade dos seus clientes. Além da idade do condutor e da antiguidade da carta de condução, a idade do veículo e outros factores inerentes ao automobilista também podem influir no preço do seguro, de acordo com a tabela específica de cada empresa de seguros. Normalmente, o preço aumenta por cada sinistro da responsabilidade do segurado e diminui por cada um ou mais anos sem sinistros. Estas alterações apenas podem ocorrer no vencimento anual do contrato e mediante pré-aviso da empresa de seguros, salvo se na apólice outro sistema tiver sido previamente estabelecido.

     
  • Qual a importância do seguro automóvel?

    O proprietário ou o condutor de um veículo são responsáveis pelos prejuízos que este possa causar e, em caso de acidente, podem incorrer em graves responsabilidades, face às indemnizações que lhes poderão ser exigidas. Por outro lado, impõe-se acautelar os legítimos interesses dos lesados em acidentes de viação. Neste sentido, institucionalizou-se a obrigatoriedade de um contrato de seguro de responsabilidade civil para os veículos terrestres a motor e seus reboques. A falta de seguro é punida por lei e pode implicar apreensão do veículo, pagamento de uma coima e, em caso de acidente, a responsabilização do condutor ou do proprietário do veículo, pelo pagamento de indemnizações aos lesados. O capital mínimo obrigatório a subscrever para os veículos não afectos a transportes colectivos é, actualmente, de € 600.000. No entanto, porque os danos causados podem atingir valores superiores, muitos tomadores de seguros optam por contratar uma garantia superior. O seguro obrigatório […]

     
 

Recomendado

 
 

Comentários recentes